Mulheres importantes na cultura norte-americana

Hello my babies!! How are you? Feeling good? Hoje nosso bate papo vai ser um pouco diferente, não vamos abordar algo relacionado a gramática ou de alguma provinha de vestibular. Hoje vamos conversar sobre algumas mulheres incríveis e suas conquistas e lutas. Tenho certeza que você já ouviu falar de algumas dessas mulheres. Lembrando que quando falamos em Enem, falamos  de conhecimentos culturais, inclusive a habilidade 8 fala exatamente sobre isso: “Reconhecer a importância da produção cultural  em LEM como representação da diversidade cultural e linguistica”.Então de certa forma, conhecer e compreender melhor sobre essas mulheres pode ser bastante útil para você.

Só aluno Explicaê Premium tem acesso ao conteúdo completo e ilimitado por menos de R$1,35 por dia.

Quero ser aluno premium

Não tem como iniciar esse bate papo sem falar dela e do que um simples ato representou na sociedade e que até hoje tem um grande impacto na luta anti racista. Rosa Parks.

Nascida em 4 de fevereiro de 1913, foi uma ativista norte-americana. Ao anoitecer do dia 1 de dezembro de 1955, Parks entrou em um ônibus na avenida Cleveland, no centro da cidade de Montgomery. Ela pagou a passagem e se sentou na primeira fileira de assentos reservados para negros no veículo. O motorista, James F. Blake, seguiu viagem em sua rota tradicional. O ônibus ía enchendo até que na terceira parada, em frente ao teatro Empire, vários passageiros entraram. Blake notou que umas duas ou três pessoas brancas estavam em pé. Para resolver o problema ele mudou o sinal de “colored” (“pessoa de cor”, termo usado nos Estados Unidos para se referir a afro-americanos) para atrás da fileira onde Parks estava. Ele exigiu que os passageiros negros sentados levantassem para que os brancos pudessem sentar. Enquanto os outros três negros levantaram, Rosa se recusou. Rosa Parks se tornou então um ícone do movimento dos direitos civis dos negros nos Estados Unidos. Uma lenda, fala a verdade?

 

Uma outra mulher que com certeza quebrou barreiras na área da tecnologia foi Katie Bouman. Nascida em West Lafayette, Indiana, é uma professora assistente de ciencia da computação no Instituto de Tecnologia da California. Ela pesquisa métodos computacionais para geração de imagens e foi uma das pessoas responsáveis pela reprodução da primeira imagem de um buraco negro. E esse feito foi realizado com apenas 29 anos. Fala sério! Que incrível né!!

Atualmente, esta mulher super inteligente é doutora em ciências da comunicação pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), uma das instituições mais respeitadas do mundo, e trabalha como professora assistente de computação e ciências matemáticas no Instituto de Tecnologia da Califórnia.

 

Do ramo musical, existe um nome que arrepia todo mundo, Beyoncé! Essa mulher é real?

Nascida em Houston, a cantora  se tornou conhecida no ano de 1997, como uma das integrantes do grupo feminino de R&B Destiny’s Child, que já vendeu mais de 178 milhões de discos mundialmente, 118 milhões em carreira solo e 60 milhões com o grupo Destinys Child. Além de uma super carreira musical, a diva é conhecida por seu papel na luta pelo feminismo e anti racista. Em uma das suas músicas se ouve o discurso “We should all be feminists” (Deveríamos todos ser feministas), apresentado pela escritora nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie. “Nós criamos as meninas para verem umas às outras como competidoras ; não por empregos ou conquistas, o que seria algo bom, mas pela atenção dos homens”, declara a autora em meio aos beats de Beyoncé.

Sobre sua luta contra o racismo, a cantora lançou o álbum Black is King. O álbum aborda a negritude como a nova realeza desse século 21, que é marcado pela conquista dos direitos por parte das populações negras.

Fantástica né?

 

Ainda sobre o ramo musical, outras cantoras americanas também deixam sua marca na história, desta vez na luta contra a homofobia. Madonna e Lady Gaga são dois exemplos de artistas que usam sua voz para lutar a favor da comunidade LGBTQIA+ .

Na canção “Born this way” (Nasci desse jeito), a cantora Lady Gaga diz: “Não importa se você ama ele ou E-L-E, em letras maiúsculas. Apenas levante suas patas, porque você nasceu assim, querido.

Tendo a aceitação como tema central, a música de Lady Gaga abraça não só o feminismo, mas se estende a todas as minorias: gays, lésbicas, transexuais, negras e travestis. A mensagem é: “Ame-se do jeito que você é!”

 

Não podemos deixar de falar de uma grande mulher, Oprah Winfrey.

Nascida em Kosciusko, Mississippi, Oprah sempre se dedicou aos estudos, querendo mudar de vida. Aos 13 anos fez uma prova e ganhou uma bolsa de estudos na Nicolet High School, uma das melhores escolas públicas da cidade de Milwaukee. Cansada de sofrer abusos sexuais desde criança, Oprah terminou o ensino fundamental e fugiu de casa. Após terminar o colégio, Oprah foi aprovada em um concurso de locução, que lhe garantiu uma bolsa de estudos na Universidade do Tennessee, uma universidade historicamente negra, onde estudou Comunicação Televisiva. A escolha de Oprah pela mídia não surpreendeu sua família, em especial sua avó, que dizia que Oprah tinha o dom de falar em público. Oprah posteriormente reconheceu a influência da sua avó, dizendo que ela sempre a incentivou a falar em público “deu-me uma imagem positiva de mim mesma”. Já trabalhando na mídia local, Oprah era a mais jovem e a única negra a ocupar o cargo de âncora de um jornal da cidade de Nashville. Em busca de independência financeira e pessoal, saiu da casa de sua mãe, em Nashville, e mudou-se sozinha, novamente para outro estado, indo viver na cidade de Baltimore, em Maryland, no ano de 1976, após ser convidada para trabalhar como repórter e apresentadora em um jornal local. Lá, ela atuou ao lado de Richard Sher no programa de entrevistas People are Talking, que estreou no dia 14 de agosto de 1978. Oprah por muitos anos foi considerada a mulher mais bem paga do mundo do entretenimento.

 

E aí meus amores? Você conhecia a história de alguma dessas mulheres incríveis? Me conta aí. Eu sei que existem milhares, milhões de outras mulheres tão necessárias quanto as listadas aqui, poderíamos conversar por horas e horas não é?

 

Espero que tenham curtido esse post!!

See you!

Compartilhe esse post