ENEM: Divisão celular - Parte 1

A gente já sabe que Divisão celular é um dos assuntos que mais caem no Enem, ne?! Então, não deixe de destacá-los em sua planilha de estudos e dar toda aquela atenção a ela!

 

Você vai perceber que alguns conteúdos demandam um cuidado especial (incluindo Divisão Celular). Outros fazem parte do nosso dia a dia, são mais fáceis de serem assimilados, como é o caso de Ecologia. Independente do tópico aproveite essas dicas para ficar bem afiado para o Enem. A prova de Biologia será no dia 10 de novembro.

Só aluno Explicaê Premium tem acesso as provas e gabaritos de vestibulares de todo o Brasil por menos de R$1,35 por dia.

Quero ser aluno premium

Do mesmo modo que uma fábrica pode ser multiplicada pela construção de várias filiais, também as células se dividem e produzem cópias de si mesmas.

 

Observe abaixo:

1. Interfase: o intervalo entre as divisões celulares

 

A interfase abrange três fases:

 

  • Fase G1 : etapa que antecede a duplicação do DNA, caracterizando-se por uma intensa produção de RNA e proteínas diversas;

 

  • Fase S : etapa em que ocorre a duplicação do DNA;

 

  • Fase G2: etapa em que a célula volta a produzir proteínas ativamente, o que determina seu crescimento. Esse fato, provavelmente, determina o início do processo divisional.

2. Mitose

 

Nas  células recém-formadas, haverá o mesmo número e os mesmos tipos de cromossomos que existiam na célula original. É  considerada um processo equitativo de divisão.

 

ilustração biologia enem

 

As etapas da mitose:

 

  • Prófase

 

Constitui o início da mitose. Durante a prófase ocorre a desorganização e o consequente desaparecimento da carioteca e do nucléolo. Os centríolos duplicados migram para polos opostos da célula.

 

Ao redor deles surgem fibras protéicas que constituem o áster. Entre os centríolos, que se afastam, surgem as fibras protéicas do fuso mitótico ou fuso de divisão.

 

Na prófase, os cromossomos, já duplicados desde a interfase, passam por um processo contínuo de condensação (espiralação), que começa a torná-los visíveis ao microscópio.

Só aluno Explicaê Premium tem acesso ao conteúdo completo e ilimitado por menos de R$1,35 por dia.

Quero ser aluno premium

Cada cromossomo duplicado é então constituído por duas cromátides. As cromátides de um mesmo cromossomo acham-se ligadas pelo centrômero e são chamadas de cromátides irmãs.

 

  • Metáfase

 

Nessa fase, os cromossomos atingem o estado máximo de condensação, tornando-se bem visíveis e dispondo-se na placa equatorial da célula.

 

  • Anáfase

 

Após a separação das cromátides – irmãs, cada cromossomo – filho delas –  formado migra para um dos pólos da célula. Essa migração deve-se ao encurtamento das fibras do fuso que ligam os centríolos aos centrômeros.

 

  • Telófase

 

Nessa fase, os cromossomos, já situados nos polos celulares, descondensam-se. A carioteca reorganiza-se e os nucléolos também se reconstituem.

 

ilustração biologia enem

 

Nas células animais, verifica-se uma citocinese centrípeta, uma vez que a membrana plasmática invagina-se, determinando uma divisão da célula de “fora para dentro”, por estrangulamento.

 

Nas células vegetais, ocorre a citocinese centrífuga, de “dentro para fora”. Nesse caso, o Complexo de Golgi origina microvesículas que se depositam na região central do citoplasma e se organizam do centro para a periferia celular, formando uma placa denominada fragmoplasto.

 

Nas células animais, devido à presença de centríolos, a mitose é chamada cêntrica; e, em consequência da existência de áster, a mitose é denominada astral. Nas células vegetais, ao contrário, a mitose é acêntrica (ausência de centríolos) e anastral (ausência de áster). As fibras do fuso se formam tanto na célula animal como na célula vegetal.

 

Na próxima postagem, falaremos sobre Meiose. E queremos ver vocês afiadinhos Mitose J faremos perguntinhas, tá?

Compartilhe esse post