Você já teve aquela sensação de ler e reler uma matéria e depois perceber que não entendeu nada? Ou pior ainda: às vezes você acha que entendeu, mas chega na hora da prova e — BAM! — bate aquele esquecimento?

Nessas horas, dá até um desânimo, é ou não é? Nada é pior do que a sensação de não conseguir sair do lugar nos estudos.

Relaxa, muita gente passa por isso; não é só você! Para te tranquilizar, saiba que a leitura incessante nem sempre é a melhor forma de estudo.

Insistir em um método que claramente não está funcionando é bobagem. Você perde um tempo precioso, que poderia ser aproveitado de outras formas. Por isso, vamos te mostrar neste post uma dica infalível para a fixação da matéria: estudar fazendo exercícios!

Faça os exercícios antes de ler a matéria

Quem não cresceu com essa ideia de que primeiro devemos ler toda a matéria para, só depois, passar para as questões? A ideia de inverter esse processo parece até maluquice, né? Mas não é bem assim.

Estudar fazendo exercícios antes mesmo da leitura, apesar de não ser algo comum, é um método muito massa. Calma que você já vai entender o por quê!

Não perca a concentração

Ao ler a matéria, você está apenas absorvendo informação. É uma atividade entediante que, muitas vezes, leva o seu pensamento para outros lugares. Não é à toa que, chega em certo ponto, você está estudando biologia marinha e, no segundo seguinte, fica imaginando se os caranguejos pensam que os peixes voam.

Essa perda de foco é muito comum quando a sua mente apenas recebe passivamente a informação.

Ao estudar fazendo exercícios, você está absorvendo, mas também repassando informações. O que acontece é mudança de uma atividade puramente chata para algo mais dinâmico.

Tá, mas e daí? Qual é a diferença?

A diferença é que, ao exigir uma movimentação da sua parte, os exercícios te ajudam a manter o foco. Dessa forma, você não fica se desconcentrando, já que a sua cabeça vai estar ocupada demais para resolver as questões.

Escolha bem quais exercícios vai fazer

Ok, se você já se convenceu sobre esse novo método de estudo, é hora de começar a colocar em prática. O primeiro passo aqui é escolher alguns exercícios para resolver. 

A maior parte dos seus estudos deve ser através perguntas de múltipla escolha. Procure por questões antigas de vestibulares ou do próprio Enem e depois separe por matérias específicas.

O segredo aqui é: comece pelo mais difícil. Isso mesmo! Sabe aquela matéria que mais te assusta? É justamente por ela que você deve começar.

Se desafie

É claro que você vai cometer vários erros no início, mas não se desespere!

Você está começando pelo inverso, então é normal ter a sensação de que não está entendendo nada. Só que é nesse momento que você começa a aprender e a memorizar a matéria.

Depois de resolver uma questão, você deve corrigi-la. Agora sim, é hora de pegar os seus livros e procurar as respostas. Busque entender cada uma das alternativas: por que essa é a certa? Por que as outras estão erradas? Sendo assim, não importa se você acertou ou não o exercício. O que mais interessa é saber o porquê.

Em pouco tempo, você vai sentir a sua concentração mais afiada e a leitura não vai ser tão entediante como era antes. Isso acontece porque você vai estar se desafiando: entender a matéria passa a ser não só uma obrigação, mas uma questão de honra!

Faça anotações

Depois de corrigir o seu próprio exercício, faça algumas anotações sobre o que foi estudado. Isso pode ser feito na própria apostila ou em um caderno separado.

Estudar fazendo exercícios, por si só, já é uma excelente forma de memorização. No entanto, escrever também é muito útil para fixar a matéria. Não só isso, mas você pode usar os seus próprios resumos e anotações no futuro, para revisar o que foi estudado.

Uma dica interessante é usar os diversos livros de questões comentadas que existem no mercado. Neles, vários professores comentam as questões de Enem que já passaram, explicando exatamente a lógica por trás de cada uma das alternativas.

Mas não vá trapacear, hein? Nada de olhar os comentários antes de tentar resolver a questão!

Desenhe um mapa mentalmente

Quando você pensa em “mapa”, qual é a primeira coisa que te vem na cabeça? Um daqueles mapas do tesouro, com caminhos intrincados traçados pelo papel? Uma espécie de fluxograma?

Bem, o mapa mental é mais ou menos isso.

Depois de estudar fazendo exercícios por um bom tempo, o seu cérebro estará fervilhando com um emaranhado de informações. Então, é preciso colocar um pouco de ordem nessa bagunça, até mesmo para evitar que você se confunda na hora H.

O mapa mental está aí justamente para isso. Dê uma pausa nos seus estudos e dedique um tempinho para criar conexões lógicas naquilo que você já estudou. Existem diversas formas de se fazer isso. O objetivo aqui é tentar memorizar tudo o que você aprendeu sem precisar partir para a decoreba.

É claro que isso não pode ser aplicado em todas as matérias, só naquelas que têm um fluxo de conhecimento que pode ser interligado.

Revise a matéria

Seguindo essas dicas, os seus estudos vão disparar em pouco tempo, mas não relaxe e deixe a peteca cair! Confiança demais também é uma barreira para o seu sucesso.

Mesmo que você já esteja por dentro da matéria, nunca deixe de revisar o que já foi aprendido, inclusive repetindo exercícios que já foram feitos. A revisão é essencial não só para fixar o conteúdo, mas também para corrigir qualquer errinho que tenha escapado durante os estudos.

Lembre-se de que estudar fazendo exercícios é um complemento da leitura. Você pode até inverter o caminho, mas não deixe de ler as suas apostilas e livros na medida em que for resolvendo as questões. Eles também são muito importantes!

Siga a gente no Facebook, Instagram, Twitter e se inscreva em nosso canal no YouTube. Além de aprender a estudar fazendo exercícios, você terá outras dicas para se preparar para os vestibulares e o Enem.

Ahh, já ia esquecer de lhe avisar que você pode garantir 20% de desconto em todos os planos da plataforma.

Clique agora no botão abaixo e não perca essa oportunidade.

cupom-desconto-20-porcento

Comentários