assinatura

Olá, vestibulando(a)! Tudo bem? Hoje vamos abordar um assunto muito importante não só para o Enem como também para os vestibulares tradicionais: grandezas, potência e energia elétrica. E para você aprender esse assunto de uma vez por todas, vamos abordá-lo a partir do que está no nosso dia a dia. Fechou?! Vamos lá!

Me diga aí… Quem nunca se perguntou se estava ligando corretamente a nova TV ou computador na tomada correta? Se ao ligar o secador de cabelos ou o console do game, não terá o risco de queimar o aparelho?

Bem, essas dúvidas permeiam a vida das pessoas que dependem da eletricidade em suas atividades cotidianas, mas no que devemos realmente focar nossas atenções? Nesse blog vamos conhecer um pouco mais sobre as grandezas e entender como elas estão relacionadas com nosso bem estar e segurança doméstica.

Primeiro, vamos conhecer um pouco mais sobre as grandezas envolvidas no funcionamento básico dos aparelhos elétricos, pois só assim poderemos otimizar o uso e de quebra ainda economizar um dim dim, né?!

Tudo começa com a corrente elétrica, a grande responsável pelo funcionamento. Quando abrimos uma torneira, não precisamos esperar para que a água surja para lavar nossas mãos. Isso se deve ao fato de que toda a tubulação está preenchida com o líquido preciso. A água que percorre uma tubulação vem na forma de um fluxo contínuo, que pode ser controlada de acordo com a pressão na rede e de maneira semelhante a corrente elétrica se comporta.

A forma mais simples de determinarmos a corrente elétrica é medindo a quantidade de cargas que passam em uma seção reta do condutor em um intervalo de tempo.

Podemos entender a corrente elétrica como um fluxo contínuo de cargas elétricas que percorrem um condutor, da mesma forma que temos um fluxo contínuo de água percorrendo uma tubulação. Mas surge uma dúvida: se a pressão é a responsável pelo impulsionamento da água em uma tubulação, então o que impulsiona a corrente elétrica em um condutor?

A resposta para isso esbarra em uma outra grandeza muito conhecida pelos usuários de equipamentos eletrônicos e elétrico, eis que estamos falando dela, a tensão, a DDP, o que acostumamos a chamar vulgarmente de voltagem.

Como o nome sugere, a DDP é uma diferença de potencial (é como uma diferença de pressão) que impulsiona as cargas elétricas nos fios condutores. Essa grandeza recebe a unidade Volt em homenagem a Alessandro Volta e, geralmente, está disponível nas versões 110 V, 127 V, 220 V ou outras que dependem das características dos aparelhos que queremos usar.

A DDP é como um carinha querendo ajudar a corrente elétrica a passar pelo fio.

Ahhh, antes que seguirmos, deixe-me lhe dar um toque….

MUITO CUIDADO COM OS CHOQUES ELÉTRICOS

A corrente elétrica possui vários efeitos. Dentre eles, um dos mais comuns é o efeito Joule, no qual parte da energia elétrica é transformada em calor (como nos chuveiros elétricos e no ferro de passar). Temos também o efeito luminoso (gerando Luz) o efeito magnético (gerando campo magnético), mas um dos efeitos que requerem maior atenção é o feito fisiológico, pois, na sua forma mais agressiva, pode levar à morte.

O choque elétrico ocorre quando a corrente elétrica atravessa o corpo de um ser vivo e seu efeito depende da intensidade da corrente que percorre o organismo. Nessa tabelinha a seguir, podemos ver como a intensidade de corrente causa diversos efeitos no organismo.

Se usarmos bem a eletricidade, podemos ter infinitamente mais benefícios que transtornos, até porque o mundo é praticamente movido à eletricidade e nossos aparelhos modernos funcionam à base dessa forma de energia.

Ao escolhermos o parelho e em que rede devemos ligá-lo, um fator de extrema importância é conhecer a potência que deve estar disponível para que o aparelho funcione corretamente. Aparelhos de baixa potência são aqueles que consomem menos energia e, dessa forma, mais econômicos, e, por consequência, tornam-se também mais seguros, pois utilizam correntes menores.

A potência que um aparelho necessita para entregar aquilo que se propõe depende basicamente da DDP onde está ligado e da corrente que consome.

É importante lembrar que potência é um conceito abrangente e não restringe apenas à eletricidade. Temos por exemplo a potência mecânica, que está relacionada à rapidez com que o trabalho é realizado e a potência térmica que é a própria rapidez com que o calor é trocado entre sistemas a diferentes temperaturas. Sendo assim, a potência, devido à sua própria natureza, relaciona os diversos ramos da física, desde a mecânica até a eletricidade.

Conhecendo a potência de um aparelho elétrico, é possível fazer uma previsão de seu consumo de energia, tendo em vista o tempo de utilização desse aparelho. Basicamente, o consumo de energia é o produto entre a potência elétrica do equipamento e o seu tempo de uso. Por isso, ouvimos sempre que, para economizar energia, duas medidas podem ser tomadas; uma delas é reduzir a potência do aparelho elétrico e a outra é reduzir o seu tempo de uso, quando possível.

Nós, consumidores, devemos ficar atentos a alguns detalhes visando economizar energia elétrica, sobretudo em períodos como estamos passando. As poucas chuvas, em locais de grandes reservatórios, reduzem drasticamente a geração de energia elétrica por parte das hidroelétricas, o que nos leva a pagar tarifas cada vez mais altas, além das taxas extras que assombram cada vez mais as contas de energia. Uma medida importante que nos ajuda a escolher de forma mais consciente o equipamento elétrico que devemos comprar é a observação do selo de eficiência energética, onde consta a classificação do equipamento.

Em um futuro cada vez mais dependente da energia elétrica, é imprescindível a diversificação na geração dessa forma de energia tão consumida. Para isso, temos de investir, cada vez mais, na exploração de forma de energia renovável e de baixo impacto ambiental. Nesse cenário, ganha-se destaque as formas de obtenção de eletricidade por meio das energias solares e eólicas, cada uma vinculada à disponibilidade desses recursos naturais.

De fato, todos concordamos que a era dos combustíveis fósseis foi importante para as formas de tecnologia que tínhamos disponíveis na época, mas, devido aos avanços tecnológicos e ao aprimoramento do conhecimento da dinâmica do meio ambiente, torna-se necessário abolir de imediato todas as formas de obtenção de energia dos combustíveis fósseis.

Grandes projetos mostram uma luz no fim do túnel e um deles merece destaque. A geração de energia usando a forma a mais grandiosa aprimorada pela natureza, a forma pela qual as estrelas geram sua energia e emanam para semear seu entorno. Estamos falando da fusão nuclear. Enquanto esse dia não chega, vamos criando hábitos saudáveis de consumo e uso racional da energia elétrica para garantir a disponibilidade para os mais diversos setores e lares.

E aí, bb. Gostou do blog que fizemos superdidático que fiz especialmente para você? Há outros blogs como este por aqui, é só conferir! Ah, se você quiser aprofundar mais no assunto que apresentei hoje, você pode acessar a nossa plataforma por 7 dias grátis! Gostou? Então vá lá dar uma conferida!

Comentários