Se você já começou o Ensino Médio e, principalmente, se está no último ano, deve ter se acostumado a muitas frases como estas: “essa matéria aqui sempre cai no ENEM”, “no ano passado, três perguntas do ENEM falavam deste tema”, “em uma redação do ENEM, você jamais pode…”.

Ou seja: esse exame está sempre presente no discurso dos professores, e saber como estudar para o ENEM é fundamental para ter um bom resultado!

Mas afinal, o que você sabe até agora sobre o ENEM? Em que aspectos ele é igual ou diferente das provas escolares? Como se preparar para este exame tão importante?

Para responder essas dúvidas, nós criamos este guia. Nele, você vai descobrir como funciona o ENEM, quais são as matérias e, principalmente, como estudar e garantir uma nota alta, capaz de dar acesso às principais universidades do país. Preparado para começar?

1. Qual é a importância do ENEM?

O Exame Nacional do Ensino Médio é uma avaliação criada pelo Inep, um instituto ligado ao Ministério da Educação. Ela tem como objetivo principal avaliar a qualidade das instituições de ensino no Brasil, mas a nota pode gerar benefícios para os alunos.

Uma boa pontuação no ENEM pode dar acesso a algumas opções de Ensino Superior, o que pode ser a única oportunidade na vida de muitos estudantes. Entre os programas educacionais que utilizam essa nota, estão:

  • Sisu: é o Sistema de Seleção Unificada, que oferece vagas em faculdades públicas. Para participar, o candidato não pode zerar a redação, e as universidades podem exigir notas mínimas para as provas.
  • ProUni: é um programa que obriga as universidades particulares a oferecerem bolsas de estudos parciais ou integrais aos estudantes. Para se candidatar, o aluno não pode ter zerado a redação e precisa obter uma média mínima de 450 pontos nas outras provas.
  • Fies: o bom desempenho no ENEM também pode facilitar a concessão do Financiamento do Ensino Superior. A média do aluno que se candidata precisa ser superior a 450 pontos e ele também não pode zerar a redação. Além disso, a renda familiar mensal bruta também é levada em consideração para a concessão do benefício.

O ENEM ainda tem outras finalidades, tais quais: 

  • substituição ou complementação do vestibular: algumas faculdades, públicas ou privadas, utilizam a pontuação do ENEM como um complemento ao seu próprio vestibular. Em outros casos, o ENEM simplesmente substitui o processo seletivo.
  • certificação do Ensino Médio: quando o aluno tem pelo menos 18 anos, obteve pelo menos 450 em cada prova e 500 na redação, ele pode requerer a certificação do Ensino Médio. Para isso, há alguns requisitos, como ter feito a solicitação no início do ano, na hora da inscrição.

A pontuação do ENEM também pode dar acesso a programas como o Ciência Sem Fronteiras e o Sisutec, que é o Sistema de Seleção Unificada do Ensino Técnico e Profissional.

2. Como funciona o ENEM? 

Neste ano, as regras para o ENEM tiveram uma alteração. Depois de uma consulta popular, ficou decidido que as provas acontecerão sempre em dois domingos seguidos. Em 2017, essas datas são 05 e 12 de novembro.

No primeiro dia, os alunos responderão 90 questões sobre as áreas de Ciências Humanas e suas Tecnologias e Linguagens. 

Além disso, nesse dia os estudantes farão a prova de redação, que pede a construção de um texto dissertativo-argumentativo. Geralmente, ele requer algum conhecimento sobre temas da atualidade.

Ou seja, em 5h30 de prova, o aluno precisa responder 90 questões e fazer uma redação, com tempo estimado em 1 hora. Isso significa que o candidato precisa utilizar cerca de 3 minutos para responder cada pergunta.

No segundo domingo, haverá outras 90 questões, porém referentes às áreas de Matemática e suas Tecnologias e Ciências da Natureza e suas Tecnologias. 

Como não haverá redação, o tempo da prova será reduzido para 4h30. Ou seja, mais uma vez o estudante precisa se organizar para responder cada questão em 3 minutos.

3. Quais são as matérias do ENEM? 

No item anterior, já contamos quais são as áreas que o ENEM avalia. Como você pode perceber, é uma abordagem diferente das disciplinas escolares tradicionais. A prova não é dividida em Física, Matemática, Química, História…

Neste exame, o MEC avalia as competências dos alunos, ou seja, como eles são capazes de usar o conhecimento para solucionar problemas. Há uma lista enorme de competências e habilidades, e além disso as questões também são classificadas em fáceis, médias e difíceis.

Todos os conteúdos que podem cair no ENEM são descritos no edital do exame. Ele fica disponível no site, e pode ser consultado por qualquer aluno, a qualquer momento.

Outra informação importante sobre o ENEM é sobre o critério de correção. A pontuação não é alcançada simplesmente quando alguém erra ou acerta uma questão. Eles utilizam uma metodologia chamada de TRI, ou Teoria de Resposta ao Item.

Na prática, isso significa que as questões que a maioria dos estudantes acertam são consideradas fáceis, e valem menos na hora de compor a pontuação. Já aquelas que uma quantidade menor de pessoas acerta valem mais, pois são consideradas as mais difíceis.

4. Como se organizar para estudar tudo?

É bem possível que você nunca tenha ouvido um ditado antigo que fala: “Ninguém come um elefante em um dia”.

Pode parecer meio estranho no começo, mas ele serve pra perceber que a vida tem muitas tarefas que não podem ser feitas de uma vez só. Uma delas é a preparação para o ENEM!

Como você viu no item acima, o preparo para o ENEM envolve o conhecimento de uma quantidade enorme de conteúdo. Basicamente, é tudo o que se estuda no Ensino Médio, mas com uma abordagem diferente do que a maioria das escolas pratica na sala de aula.

Por isso, se o aluno deixar para se preparar e estudar na última hora, suas chances de ter sucesso serão realmente muito baixas.

Então, o que você pode fazer para se organizar e conseguir estudar todo esse conteúdo? É disso que nós vamos falar a partir de agora!

4.1. Comece com antecedência

O ideal é começar seu roteiro de estudos para o ENEM antes do 3º ano do Ensino Médio. Mas se você não sabia disso, não conseguiu se organizar e agora o exame já está se aproximando, é hora de correr para colocar a matéria em dia.

Mas vamos pensar na situação ideal: você está no segundo ano do EM e está vendo toda a movimentação dos seus amigos que vão prestar ENEM. Já percebeu que não dá para deixar para a última hora.

Consciente disso, você vai tomar a melhor decisão possível: se organizar desde agora. Afinal, o ano do ENEM não pode ser encarado como qualquer outro período da sua vida. A preparação precisa ter prioridade total. É o momento de dar o máximo de si para entrar na faculdade dos sonhos o mais rápido possível!

4.2. Crie seu próprio roteiro de estudos

Você já decidiu que vai começar a se preparar agora, certo? Então, o primeiro passo é montar seu roteiro estudos. Para isso, siga o nosso passo a passo:

  1. faça uma lista com todos os conteúdos que aparecem no edital do ENEM;
  2. acesse um calendário, que pode estar no celular ou internet, e conte quantos dias faltam até a prova;
  3. se você já quer se preparar para o ano seguinte, estabeleça esse número pensando em uma data próxima da que foi marcada para o exame deste ano;
  4. ao final da contagem, reserve duas ou três semanas apenas para a revisão;
  5. distribua os conteúdos do edital nos dias que contou. Sempre se lembre de colocar primeiro um que você acha mais difícil, seguido de outro que considera de dificuldade média;
  6. inclua na sua programação um dia para estudar temas da atualidade. Eles sempre caem no ENEM, seja nas perguntas ou na redação;
  7. você deve estar se perguntando onde foram parar os conteúdos fáceis, não é mesmo? Eles ficarão por último. Mesmo quando sua cabeça já estiver cansada, não será difícil estudar essas disciplinas;
  8. separe algum tempo no seu cronograma para fazer provas simuladas, mesmo que seja em casa. Livre-se de distrações e leve esse tempo a sério, como se já estivesse no local do exame;
  9. também já estabeleça seus dias de folga. Pode ser um ou meio dia por semana. Refrescar a cabeça também é importante, mas lembre-se de cumprir o seu horário de estudo direitinho nos outros dias.

4.3. Descubra tudo sobre a prova

Antes de começar a estudar, você precisa descobrir tudo sobre o ENEM. Para essa tarefa, é fundamental estudar o edital do começo ao fim, mesmo que isso seja realmente muito, muito chato.

Porém, as informações que estão ali são importantes para você entender tudo o que vai acontecer antes, durante e depois da prova.

Mas estudar o edital do ENEM não é a única coisa que você precisa fazer. É muito importante pesquisar os temas que mais caem nesse exame. Sabe, aquela comissão que faz as provas gosta muito de abordar alguns assuntos, tanto das disciplinas quanto da atualidade.

Por isso, os temas que aparecem em um ano podem se repetir na prova seguinte, desde que a comissão considere que eles são relevantes. Existem especialistas, professores feras de EM, sites e canais do YouTube que já conseguiram rastrear essas preferências. Buscar essas fontes pode render dicas muito importantes.

Ainda tem mais uma tarefa indispensável: entender o que são e para que servem as competências.

Na verdade, essa é a principal diferença entre o ENEM e as provas tradicionais. Em vez de simplesmente perguntar o que é isso, ou o que é aquilo, o exame dá um show em contextualizar os temas e transformar o assunto da aula em um conhecimento importante para resolver problemas.

Além disso, a própria correção é baseada nesse conceito de competências. Os acertos e erros passam por uma análise complexa, que compara até mesmo o seu desempenho em relação ao de outros candidatos.

5. Quais são os hábitos de um bom estudante?

Agora que você já sabe exatamente como o ENEM funciona e já tem o seu cronograma de estudos, é hora de partir para a ação e cumprir o seu plano. Mas não basta estudar muito. Há alguns truques e hábitos que o aluno pode desenvolver para se tornar um craque nas provas. Vamos ver quais são:

5.1. Defina um horário e lugar para os seus estudos

É lógico que você pode estudar em qualquer lugar: enquanto vai para a escola no transporte público, na sala de espera do dentista, quando estiver na casa da sua avó nos finais de semana…

Mas seu estudo não pode se restringir a essas opções. Pense nele como um trabalho sério, e estabeleça um horário diário e um local específico para estudar.

O importante é que você siga esse horário religiosamente e que o lugar seja, ao mesmo tempo, confortável, silencioso, livre de interrupções e que permita a concentração por longos períodos.

5.2. Livre-se das distrações

Mas vamos concordar que, não adianta nada você encontrar um lugar com essas características se você mesmo levar suas distrações.

Então, deixe seu celular no modo silencioso, fique longe dos aplicativos e redes sociais que geralmente tomam seu tempo e resista à tentação de abrir abas no seu navegador que não estejam relacionadas ao seu estudo!

5.3. Alterne atividades diferentes

Não fazer a mesma atividade por horas seguidas é importantíssimo para que o cérebro “descanse” mesmo sem parar de trabalhar. Ficou confuso? Vamos explicar!

Em sua rotina de estudos, você fará atividades diferentes. Haverá material para leitura, exercícios e também é preciso treinar a escrita. Programe períodos para alternar essas possibilidades.

Assim, quando seu cérebro estiver cansado de ler, ele terá o “alívio” de parar essa atividade e começar a fazer exercícios. Por mais que não seja uma parada total, isso já ajuda a mudar um pouco o foco e manter a concentração.

Aliás, esse princípio da alternância vale também para as matérias, principalmente se você conseguir intercalar exatas, humanas e biológicas. Então, se começou com Matemática, depois passe para Geografia. Após um período, passe para Biologia, e assim por diante.

5.4. Aproveite bem as aulas

Você pode ter muita facilidade para estudar sozinho, mas se passar um período inteiro na escola sem aproveitar bem as aulas, vai perder metade do seu tempo, concorda?

Então, nada de desperdício! Preste atenção, pergunte ao professor, tire suas dúvidas, faça os exercícios. Faça do seu período de aulas um aliado em sua preparação para o ENEM!

6. O que fazer para se preparar especificamente para o ENEM?

6.1. Leia bastante

Responder as questões do ENEM não envolve apenas conhecer fórmulas e decorar respostas prontas. O aluno precisará relacionar esse conhecimento às situações apresentadas.

Portanto, uma das habilidades essenciais para o ENEM é a interpretação textual.

Para desenvolvê-la, a leitura é fundamental. Leia o tempo todo, leia no caminho para a sua escola, enquanto espera no dentista.

Isso vai fazer com que você não só desenvolva essa capacidade de interpretação, mas vai ajudar a acelerar sua velocidade de leitura (importantíssima quando tem um milhão de questões para resolver) e a resistência para fazer uma prova puxada.  

6.2. Troque ideias

Frequentemente, tanto as perguntas do ENEM quanto as redações exigem que o aluno enxergue uma mesma situação por perspectivas diferentes. Por isso, é importante desenvolver o raciocínio crítico.

Uma maneira fantástica de fazer isso é discutindo temas. Ler textos sobre diversos assuntos e combinar com outras pessoas para que elas tragam sua opinião sobre o assunto. O ideal seria que a escola fizesse isso, mas sabemos que nem sempre essa é a realidade.

Mas então, que tal você tomar a iniciativa? Reúna seus colegas de escola que também querem se dar bem no ENEM e promova essas discussões. Não dá para fazer pessoalmente? Tente no Skype! Se os seus amigos não topam, procure comunidades na internet.

Com certeza, você vai precisar tomar alguns cuidados com a segurança, mas essa discussão é fundamental para se aprofundar sobre os temas, desenvolver o senso crítico e até testar a validade dos seus argumentos.

Ah, e não leve as discordâncias para o lado pessoal, tá? Se as pessoas pensam diferente, não as rotule como ignorantes. Use essas informações para enriquecer o seu ponto de vista. Aliás, como já dizia um famoso autor, “a unanimidade é burra”!

6.3. Treine

É como um esporte: quanto mais você treinar, maiores são suas chances de mandar em na hora da prova prova. Por isso, baixe as provas e questões dos anos anteriores e procure resolvê-las. Depois, você pode procurar as respostas comentadas por especialistas em blogs ou no YouTube.

Por que isso é importante? Como já falamos, o estilo das questões do ENEM é completamente diferente das provas da maioria das escolas e até mesmo de outros vestibulares.

Então, você precisa se familiarizar com a linguagem, o formato e o grau de dificuldade das perguntas. Esse é um dos principais segredos para se dar bem na hora da prova.

Outra dica superimportante é cronometrar o tempo dos seus testes. No dia do ENEM, você terá muitas questões para resolver em poucas horas. Então, precisa saber quanto tempo leva para resolver as provas anteriores e ir acelerando o seu desempenho pouco a pouco.

7. Como estudar online e arrasar no ENEM? 

Hoje o estudante tem à sua disposição o recurso mais top das galáxias para se preparar para o ENEM, vestibulares e o que mais ele quiser: a internet!

É lógico que ainda é possível se matricular em um cursinho preparatório, mas vamos combinar que, enquanto os cursos têm uma opção limitada de aulas e professores, mas ao estudar online você pode entrar na sala de aula dos melhores profissionais do mundo!

Assim, você pode escolher o professor que você quer, que torna qualquer matéria simples e que faz Física Quântica parecer um assunto do jardim da infância por meio de uma videoaula e assistir uma aula dele sem nem mesmo sair do seu sofá!

Hoje em dia, muitos alunos já deixaram de ver as ferramentas online como recursos complementares para os estudos. Eles estão fazendo das opções virtuais o carro-chefe do seu preparo, e com ótimos resultados!

A videoaula, por exemplo, é uma ótima opção para a maioria dos alunos. Quem mora em cidades pequenas têm acesso a aulas com professores espetaculares.

Mesmo para quem vive em uma metrópole esse é um recurso muito vantajoso: o tempo que ele gastaria no bus pode ser usado para o estudo, e sem o cansaço e os perigos que o deslocamento gera.

Porém, é importante ter certeza de que aquela aula tem um conteúdo de qualidade. Uma plataforma confiável pode ser o ponto de partida. Ela não impede que você procure e assista outros materiais, mas dá a certeza de que uma determinada abordagem é correta.

Veja algumas opções:

7.1. Blogs e canais gratuitos

Nessas opções, o estudante encontra de tudo: videoaulas, textos, infográficos, imagens, exercícios. Só é preciso, realmente, tomar cuidado e analisar bem a fonte. Afinal, na internet a pessoa publica o que ela quer.

Então, sempre compare com outras fontes e verifique se a informação realmente está correta. Outro ponto que o estudante precisa ficar de olho é em relação aos exercícios. Nem sempre esses blogs gratuitos trazem uma correção comentada ou até mesmo um gabarito.

Sem a oportunidade de corrigir ou entender qual foi o erro que o estudante cometeu, fica difícil ter uma aprendizagem realmente significativa.

7.2. Aplicativos

Existem aplicativos para tudo no mercado, então não faltam opções também para estudar para o ENEM. Conheça tanto os gratuitos quanto pagos, e se torne um usuário frequente desses recursos para estudo e exercício.

7.3. YouTube Edu

Você não sabia que o YouTube tem um canal específico só para a Educação, não é mesmo? Então, é hora de conhecer!

O YouTube Edu reúne vídeos desenvolvidos por 26 projetos educacionais. São mais de 8 mil opções de conteúdos de Ensino Médio nas disciplinas de Matemática, Língua Portuguesa, Física, Química e Biologia, entre outros.

7.4. Portais especializados

Agora, se você quer todos os recursos de um curso preparatório, mas a um preço acessível e sem sair de casa, a melhor opção é um portal especializado.

Esse tipo de serviço tem todos os recursos das outras opções, mas ainda disponibiliza ferramentas bacanas que ajudam o estudante a ter um bom desempenho.

Nesses portais, você pode criar — ou encontrar uma sugestão — de plano de estudos individualizado. Muitos deles oferecem tira-dúvidas, simulados e, em alguns casos, até mesmo a correção de redações!

Ao pesquisar bem, vai encontrar portais que conseguem dar um atendimento individualizado. Eles procuram primeiro saber seus gostos, objetivos e até mesmo suas dificuldades. Aí eles montam um cronograma perfeito para você!

A partir daí começa o verdadeiro acompanhamento: eles sugerem os conteúdos que detectaram que são os mais importantes para melhorar o seu desempenho, avaliam continuamente e propõem exercícios e atividades para manter os seus pontos fortes em alta e ajudá-lo a superar os pontos fracos. Não é incrível?

Um bom resultado no ENEM não cai no colo. Ele exige dedicação, persistência e disciplina. Mas com organização e usando todos os recursos que estão à sua disposição, você pode ter a certeza de que dá para se preparar para o exame, ter um bom resultado e entrar na faculdade dos seus sonhos!

Viu como é possível se organizar para estudar para o ENEM e se dar bem na prova? Gostou do nosso post? Quer receber outras dicas?

Então não perca tempo! Assine agora mesmo a nossa newsletter e receba muitas novidades, dicas e posts imperdíveis no seu e-mail! O que está esperando?

Comentários