Faaaaaaaaaala galerinha do Explicaê ê ê ê! Hoje vamos falar das queridas e amáveis plantinhas. Vamos nessa aprender mais sobre botânica para arrasar no Enem? Então para tudo que estiver fazendo e confira esse blog que preparamos especialmente para você! haha  #enemquemesiga

As plantinhas surgiram muito provavelmente das deliciosas algas marinhas, elas mesmas, que hoje apreciamos nos sushis, né? A corrente evolutiva mais aceita defende que as algas verdes ou clorofíceas sofreram um processo de formação de colônias e deram origem as first plants he he he.

Com o tempo elas foram se tornando cada vez mais complexas partindo das briófitas até chegarem nas angiospermas que são as mais porretas plantinhas de todas, pois já produzem frutas para comermos . Os defensores dessa hipótese evolutiva afirmam que as atuais plantinhas comungam com as algas verdes as clorofilas a e b sendo essa semelhança bioquímica a grande prova desse parentesco.

Antes de estudarmos os grupos vegetais, vamos aprender alguns conceitos que só são usados na botânica, tá? Segundo a presença ou não de vasos condutores, as plantas são classificadas em avasculares(sem vasos) ou vasculares(com vasos). A presença ou não de tecidos de sustentação são classificadas em estereomadas (com tecidos de sustentação) ou não estereomadas (sem eles). A presença de órgãos reprodutores evidentes são divididas em criptógamas (sem) ou fanerógamas (com).

Quanto à divisão corporal, são divididas em talófitas (sem) e cormófitas (com); quanto à presença de sementes em espermatófitas(com) e não espermatófitas(sem); quanto à presença de flor, partem-se em antófitas(com) e não antófitas(sem); e quanto à presença de frutos, em cárpicas(com) e não cárpicas(sem). Ufa!!!! São muitos conceitos (decorebinhas) eu sei mas com o tempo, no caso fazendo questões, eles vão entrando no seu juízo.

Ainda precisamos dominar alguns conceitos sobre a reprodução das plantinhas, já que as mesmas desenvolvem um ciclo reprodutivo muito próprio, chamado de ciclo de vida metagênico ou alternante ou ainda haplodiplobionte.

Nesse ciclo, as plantinhas terão uma fase reprodutiva assexuada chamada de esporófito(2n), em que produzirão células reprodutivas conhecidas como esporos e outra fase conhecida como gametófito(n), em que produzirão gametas. Perceba que elas alternam uma fase 2n com outra n e, por isso, usamos o termo haplodiplobionte. Lembrem-se de que, diferente dos gametas, os esporos não são células fecundáveis.

No ciclo representado, percebemos que os esporos são produzidos por meiose (meiose espórica ou intermediária) enquanto os gametas por mitose (mitose gamética). Isso vale para TODAS as plantinhas, ok?

 

Vale ressaltar que apenas nas briófitas a fase de gametófito predomina sobre a de esporófito.

Agora vamos estudar mexxxmo os quatro grupos vegetais partindo das briófitas até chegar nas angiospermas. Lembrem-se de que a botânica divide as plantas em quatro grupos: Briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiospermas. Bora lá mandar brasa em cada grupo.

 

Briófitas

  • Avasculares
  • Talófitas
  • Não estereomadas
  • Criptógamas
  • Não espermatófitas
  • Não antófitas
  • Não cárpicas
  • Grupo onde se inicia a diferenciação dos primeiros tecidos
  • São de pequeno porte, não ultrapassando alguns centímetros
  • Dependem da água para a reprodução
  • Comuns em regiões sombrias e úmidas como o interior da mata atlântica

O corpo das briófitas, como musgos, antoceros e hepáticas, é basicamente formado de rizóides, caulóide e filoides, sendo que a ausência de vasos condutores forçam-nas a absorver água do meio por osmose, passando-a de célula a célula. Essa forma de condução da água é lenta e, por isso, limita o crescimento das mesmas.

No seu ciclo reprodutivo, o gametófito(n) é a forma predominante e formadora de gametas (anterozoides e oosfera). Os anterozoides (gametas masculinos) são lançados em meio úmido e nadam até o encontro com a oosfera (gameta feminino), havendo, assim, a fecundação e a formação do zigoto embrião e, por último, um esporófito(2n). O esporófito produz esporos por meiose e laça-os no vento, sendo levados para longe da planta mãe e germinando em solo úmido formando com isso novamente um gametófito.

 

Pteridófitas

  • Primeiras plantas vasculares ou traqueófitas
  • Cormófitas
  • Estereomadas
  • Criptógamas(dependem da água para reprodução)
  • Não espermatófitas(sem sementes)
  • Não antófitas(sem flores)
  • Não cárpicas(sem frutos)
  • São de médio porte (algumas podem ter alguns metros

O corpo das pteridófitas, como samambaias, avencas, cavalinhas e licopodíneas, é dividido em raízes, caule e folhas (médio porte), pois já há presença de vasos condutores que permitem o transporte rápido de água e nutrientes.

No ciclo reprodutivo, o esporófito(2n) é a forma predominante e o gametófito, assim como as briófitas, forma gametas masculinos, como anterozoides, e feminino, como a oosfera. Os anterozoides (gametas masculinos) são lançados em meio úmido e nadam até o encontro com a oosfera (gameta feminino), havendo, assim, a fecundação e a formação do zigoto embrião e, por último, um esporófito(2n). O esporófito produz esporos por meiose e laça-os no vento sendo levados para longe da planta mãe e germinando em solo úmido, formando, com isso, novamente um gametófito(n).

Gimnospermas

  • Vasculares ou traqueófitas
  • Cormófitas
  • Estereomadas
  • Fanerógamas (não dependem da água para reprodução)
  • São as primeiras espermatófitas (com sementes)
  • Não antófitas (sem flores)
  • Não cárpicas(sem frutos)
  • São de médio e grande porte (algumas podem ter alguns metros)

O esporófito dessas plantas possui estruturas em forma de cones chamadas de pinhas ou estróbilos, as quais formam os pinhões que darão origem as novas plantas. Pinheiros, sequoias, abetos e ciprestes são as gimnospermas mais conhecidas e muito comuns em regiões temperadas.

No ciclo reprodutivo, o esporófito(2n) é a forma predominante e o gametófito masculino na forma de pólen dá origem a gametas chamados de núcleos espermáticos. O pólen é transportado pelo vento (anemofilia) até o gameta feminino, a oosfera, havendo, assim, a fecundação e a formação do zigoto, embrião e, por último, um esporófito(2n). O esporófito produz esporos por meiose e laça-os no vento, sendo levados para longe da planta mãe e germinando em solo úmido, formando, com isso, novamente um gametófito(n).

 

Angiospermas

 

  • Vasculares ou traqueófitas
  • Cormófitas
  • Estereomadas
  • Fanerógamas (não dependem da água para reprodução)
  • São espermatófitas (com sementes)
  • São as únicas plantas antófitas (com flores)
  • São as únicas plantas cárpicas (com frutos)
  • São de todos os portes sendo divididas em herbáceas (pequenas), arbustivas (médias e arborescentes(grandes).

Formam cerca de 95% das plantas da nossa flora como, por exemplo, a grama, a cana, os coqueiros, as goiabeiras, dentre outras. Dividem-se em dois grupos: Monocotiledôneas e dicotiledôneas como comparadas abaixo:São as primeiras plantas antófitas, ou seja, possuem flores tornando-se, por isso, atrativas para os animais(zoofilia).

 

 

A polinização (transporte do pólen) pode se dar por ação do vento (flores brancas e sem atrativos como néctar ou cheiro) – anemofilia ou pela ação de animais (flores coloridas, néctadas e cheirosas) – zoofilia.

Ao contrário das gimnospermas, em que ocorre uma única fecundação, nas angiospermas ocorrem duas fecundações.

Após a dupla fecundação, o óvulo dá origem a semente e o ovário, transformando-se no fruto.

E aí, gostou desse resumão que fizemos especialmente para você? Espero que sim! Porque há muitos blogs como este por aqui que você pode conferir! Ah, e se você quiser assistir à minha aula sobre este assunto, é só acessa a nossa plataforma. Damos a você 7 dias grátis para você dar uma espiada. Haha Além disso, só porque você chegou até aqui, você pode usar o cupom VIMDOBLOG para obter 10% off em qualquer um dos planos disponíveis.

cupom-desconto-20-porcento

Comentários