A nota do Enem permite que você participe de uma série de processos de seleção, como:

 

  1. Ingressar em uma universidade pública, através do SiSU.
  2. Ingressar em uma universidade particular, substituindo o processo seletivo.
  3. Participar do processo de bolsas parciais ou totais através do ProUni.
  4. Participar do processo de financiamento (total ou parcial) das mensalidades de instituições privadas através do FIES.
  5. Participar de processos seletivos de instituições públicas que utilizam a nota do Enem como parte da nota ou como primeira fase.
  6. Conseguir descontos ou bolsas em instituições privadas (na matrícula e nas mensalidades do curso).
  7. Participar de processos seletivos de instituições públicas que não estão no SiSU.
  8. Ingressar em instituições do exterior.

 

O que significam essas notas? Fui bem ou fui mal?

 

As notas do Enem não são calculadas simplesmente pelo número de acertos em cada área de conhecimento, e sim pela Teoria de Resposta ao Item (TRI).

 

Nesse modelo, é avaliado, além do número de acertos, a qualidade das respostas certas obtidas (medida da proficiência).

 

O TRI, por exemplo, é capaz de identificar se as respostas dos alunos são coerentes com o nível de conhecimento que ele demonstra, permitindo até identificar o acerto causal (“chute”).

 

“No cálculo da nota, o modelo matemático da TRI usado no Enem considera a coerência das respostas corretas do participante. Espera-se que participantes que acertaram as questões difíceis devam também acertar as questões fáceis, pois, entende-se que a aquisição do conhecimento ocorre de forma cumulativa, de modo que habilidades mais complexas requerem o domínio de habilidades mais simples. Lembrando que o posicionamento das questões na escala de proficiência é determinado a partir das respostas dos estudantes.”

Fonte: Guia do Participante. Entenda a sua nota do Enem/INEP.

 

 

Fica claro, então, que alunos com o mesmo número de acertos podem ter notas diferentes, a depender da coerência desses acertos.

 

E também que as notas podem sofrer variação de um ano para o outro, a depender do grau de dificuldade da prova. Podemos ver isto no exemplo abaixo.

 

imagem enem sisu

Fonte: Microdados do Enem 2017.

 

Também podemos ver isso nas médias, notas mínimas e notas máximas do Enem 2019, comparadas aos anos anteriores:

 

imagem enem sisu

 

As notas de 2019 apresentaram, de forma geral, uma queda em relação aos anos de 2017 e 2018, principalmente nas médias e nas notas máximas (alunos que acertam todas as questões da prova).

 

Mas você deve estar se perguntando: como isso impacta no meu resultado de 2019?

 

Juntando essas informações com o resultado apresentado por alunos que nos passaram o número de acertos juntamente com as notas por eles obtidas, podemos inferir que as notas obtidas esse ano deverão ser menores que as dos anos anteriores e, portanto, as notas de corte devem cair.

 

E a nota de Redação?

 

A Redação não é corrigida pelo modelo do TRI. Sua nota mínima é zero e sua nota máxima é 1000. A Redação é corrigida avaliando 5 competências, em 6 níveis (0, 40, 80, 120, 160 ou 200 pontos).

 

A nota final do aluno é dada pela soma das notas obtidas em cada uma das 5 competências. A desobediência a algumas regras levará à nota zero.

 

imagem enem sisu

Fonte: instruções da redação na prova oficial do Enem 2019

 

Essa edição do Enem 2019 apresentou a seguinte distribuição de notas:

 

Em redação, a nota média foi de 592,9. O número de candidatos com nota 1 mil caiu de 55 para 53 em relação a 2018. O número de redações nota zero aumentou de 112.559 para 143.736.

 

imagem enem sisu

Fonte: Inep

 

Se restar alguma dúvida, não hesite em abrir um atendimento no chat do site. A gente tá aqui pra isso mesmo, tá?

 

Beijão! 

 

Comentários